quinta-feira, 1 de março de 2012

"CIDADE MARAVILHOSA"

http://cmzuzuangel.blogspot.com/

"CIDADE MARAVILHOSA":
MUNICÍPIO DO DO RIO DE JANEIRO
"CIDADE MARAVILHOSA"

A cidade do Rio de Janeiro está completando
447 anos.

MINHA CIDADE
Minha cidade - menina,
tão linda, tão feminina,
cheia de charme e fulgor,
conservas tua beleza,
esbanjas teu esplendor,
apesar de maltratada,
apesar do desamor.
Aquele que por ti passa,
não quer, jamais, te deixar;
diante de tua graça,
rende-se sem vacilar.
Cidade cartão - postal,
minha cidade natal!
Autora: Cibele Carvalho


Rio, nós amamos vc!!



Vamos construir o Rio de Janeiro ideal.
Uma cidade maravilhosa...
para nossas crianças.
Vamos fazer a nossa parte?

Vittra Telefonplan: Uma escola com um ambiente diferente

http://www.rodrigostoledo.com/
Vittra Telefonplan: Uma escola com um ambiente diferente:


Eu acompanho de perto a educação de minha filha há aproximadamente 6 anos, e desde 2010 faço palestras como voluntário em sua escola sobre internet e redes sociais e converso muito com alunos, professores e coordenadores para ter um bom entendimento de como as coisas funcionam atualmente.


A impressão que tenho é de que as coisas não mudaram muito desde os tempos em que eu estive na escola, mas existem muitas questões envolvidas que ainda devem atrasar um pouco uma renovação mais profunda dos atuais métodos de ensino.


Hoje eu encontrei um interessante artigo sobre a Vittra Telefonplan, uma escola sueca que tem chamado a atenção de todo o mundo tanto pela arquitetura do ambiente de aulas quanto pela metodologia de ensino.


“Segundo eles, o ambiente escolar é a maior forma de aprendizagem – sendo mais importante, inclusive, do que o conteúdo das aulas. Em uma época onde a informação está disponível a uma “googlada” de distância, a capacidade de armazenar conteúdo na cabeça não é mais o que distingue um bom estudante de um mau estudante.


Se o estudante aprende a aprender, fica mais fácil ele lidar com os desafios que aparecerão em sua vida nos anos que sucedem o período escolar. E fica mais fácil ele continuar aprendendo sempre.



“Se as escolas ainda são as mesmas as quais nós frequentávamos em nosso período escolar, é natural que você se pergunte se elas estão trabalhando da maneira correta – considerando que a sociedade está se transformando na velocidade em que está. Se nada muda na forma a qual as escolas funcionam, então algo está errado.”



A própria estrutura do prédio (criada pelo arquiteto Rosan Bosch) foi pensada de forma a acolher os estudantes e deixá-los livres para aprenderem da forma que se sentem mais confortáveis.”


O prédio é dividido em ambientes com nomes distintos como a Caverna, que é um espaço reservado para concentração e privacidade, o Laboratório, destinado a experiências e trabalho prático, a Fogueira para aulas em grupo e socialização, o Furo, que é um lugar para encontros e impulsos e por fim a Arena, que é um lugar para mostrar e discutir o que foi aprendido.


O ambiente é propício para um aprendizado mais descontraído e em um local que tem tudo para estimular a criatividade dos alunos, sendo muito diferente do modelo tradicional encontrado na maior parte das escolas. Acredito que os alunos tenham uma chance maior de absorver o conteúdo em novos ambientes e com o apoio da tecnologia, que em conjunto com bons professores podem realmente fazer uma grande diferença!


Espero poder encontrar uma escola assim no Brasil em breve!! Quem sabe…



Via UoD.


Dicas para afastar insetos da sua casa

http://www.clubdoural.com.br/
Dicas para afastar insetos da sua casa:


O verão está quase indo embora, mas alguns males que surgem com ele não somem de uma hora para outra. Os insetos são um dos revezes que surgem junto com essa estação tão querida. Mas como proceder quando esses visitantes indesejados insistem em continuar sua estadia em nossa casa? Existem algumas dicas simples que podem contribuir para reduzir e evitá-los por algum tempo.


Crie o hábito de lavar e guardar a louça logo depois de usá-la. Evite deixar os alimentos expostos, conserve-os em recipientes fechados.


Guarde os doces dentro da geladeira, assim você afasta as indesejadas formigas. Mantenha os armários da cozinha sempre limpos. Distribuir folhas de louro evita a infestação por baratas.


Uma dica para afastar as formigas do açucareiro é colocar pedaços de casca de limão dentro. A bancada da pia e do fogão devem ter uma limpeza caprichada, não deixe resíduos de alimentos.


Confira a vedação dos azulejos, os buraquinhos no rejunte atraem formigas. Uma atenção especial para o quintal, tenho a cuidado de retirar toda a água sempre que lavá-lo, assim você impede a proliferação de mosquitos. Essa atenção também deve ser estendida a vasos de plantas.


A lixeira de alimentos deve ser bem vedada para evitar a infestação. Qualquer alimento colocado para os animais devem ser recolhidos à noite, assim evita que atraia moscas e baratas.


Para evitar traças limpe as gavetas, cantos e frestas com um pano umedecido em vinagre branco. A alfazema é ótima para afastá-la. Utilize ramos ou algodões umedecidos com a essência.


Mantenha as janelas fechadas depois das 17h30, esse é o horário crítico para o aparecimento de pernilongos.


No caso daqueles mosquitinhos típicos de banheiro o ideal é jogar desinfetante ou água sanitária no ralo do boxe, pois ali fica concentrada as larvas.


Fernando Assad Abdalla

Prevenção do infarto

http://drauziovarella.com.br/
Prevenção do infarto:

Dr. Carlos Alberto Pastore, médico cardiologista, é o autor do livro “Dicas de Saúde:Curiosidades e Esclarecimentos”, uma coletânea das orientações que dá diariamente aos ouvintes da Rádio Eldorado AM de São Paulo. Seus esclarecimentos, em linguagem precisa e accessível, são de grande utilidade pública, especialmente num País como o nosso que carece desse tipo de informação. Nesta entrevista, concedida no Canal Universitário, o dr. Pastore explica o que se deve fazer para prevenir as doenças do coração.


FAIXA ETÁRIA DE RISCO


Drauzio – Qual a faixa etária com maior risco de sofrer infarto do miocárdio?


Carlos Alberto Pastore - A faixa etária vem caindo nos últimos 20, 30 anos. Antes, quando entrava no Incor um paciente com 40 ou 50 anos, a equipe médica se surpreendia, porque o infarto acontecia, em geral, depois dos 60. Hoje, no entanto, é rotina atender casos de infarto em pessoas mais jovens.


Drauzio – Como você explica esse fato?


Carlos Alberto Pastore – Acredito que, no passado, a aterosclerose ocorria mais lentamente e os que envelheciam, mais cedo ou mais tarde, apresentariam um problema coronariano. Como se sabe, o infarto é uma doença multifatorial. Infelizmente, algumas condições de vida do homem moderno contribuíram para acelerar esse processo. Pessoalmente, dou muita ênfase aos hábitos alimentares, à redução das atividades físicas e aos efeitos nocivos do estresse.


A DIETA


Drauzio – Você citou a dieta de hoje mais rica em calorias, mas no passado se cozinhava com banha de porco o que acentuava o teor calórico dos alimentos. Não parece um contrassenso culpar apenas o excesso de colorias pela ocorrência de infarto mais precocemente?


Carlos Alberto Pastore - A banha de porco talvez não fosse tão importante no cômputo geral das calorias, quanto é a comida fast food. Quando comemos um hambúrguer, uma porção de batata frita e tomamos um milk shake, em poucos minutos ingerimos de 1.000 a 1.500 calorias, o que representa praticamente a necessidade calórica de um dia inteiro. Esses novos hábitos alimentares estão muito ligados ao modo de viver dos americanos, que se preocupam, no momento, com as alterações orgânicas decorrentes do aumento excessivo de peso, porque a população dos Estados Unidos, no geral, engordou bastante nas últimas décadas. Quando insisto em dietas equilibradas, destaco sempre dois pontos: a necessidade de conhecer as propriedades nutricionais de cada alimento e a de criar hábitos saudáveis de alimentação desde a infância. Um saco de pipocas, por exemplo, que qualquer um come brincando, tem 500 calorias. Se for feita na manteiga, o número sobe para 2000. E tem mais: dietas miraculosas, como a da Lua, do abacaxi, ou do pozinho que substitui a comida, não cumprem o que prometem. Dieta não é para uma semana, é para a vida toda. Por isso, não pode ser sinônimo de privação e sacrifício. Se comermos nas proporções e horários adequados, quase nada é proibido. Não é exagero dizer que vive mais quem come 70% da alimentação diária até as 2 horas da tarde e, daí em diante, come com moderação, pois disso depende sua saúde e bem-estar.


Drauzio – Isso quer dizer que comer na hora de dormir engorda mais?


Carlos Alberto Pastore - Tudo indica que o metabolismo fica mais lento à noite. Por isso, é aconselhável alimentar-se bem no início do dia, período de atividades mais intensas e, consequentemente, de maior queima de energia. Quando o ritmo decresce, deveríamos comer menos, mas geralmente ocorre o contrário. É mais fácil colocar dentro de um pão umas fatias de queijo e presunto, besuntá-lo com manteiga e tomar um refrigerante do que preparar uma salada. Ingerir açúcar rápido (pão, macarrão, massas, doces) à noite duplica a absorção e engorda. O aconselhável seria comer verduras, legumes, frutas, fibras e, talvez, algum grelhado.


A ATIVIDADE FÍSICA


Drauzio – Sem falar nos homens primitivos que lutavam para encontrar o que comer, num passado relativamente próximo, o homem era obrigado a locomover-se mais. Atualmente, ele desce pelo elevador, entra na garage, pega o carro e para na porta do local de destino. Quais as implicações da vida sedentária a que se submete o homem moderno?


Carlos Alberto Pastore - Na área da Cardiologia moderna, todos os trabalhos científicos publicados recentemente são unânimes em reconhecer que, para o coração, nada supera os benefícios da atividade física regular. Veja, insisto no termo: regular. Estudos realizados nos Estados Unidos demonstram que as pessoas devem fazer exercícios quatro vezes por semana durante meia hora, ou andar durante uma hora, sem exageros, mas com regularidade. Indivíduos idosos, que já adotaram essa conduta, têm melhor qualidade de vida. Provavelmente viverão mais dez anos do que viveriam se fossem sedentários.


Drauzio – Nos Estados Unidos, há um empenho em levar indivíduos de 80 anos para correr a maratona. Quando se poderia imaginar que alguém com essa idade seria capaz de correr 42 km?


Carlos Alberto Pastore - É surpreendente como eles conseguem fazê-lo. Há todo um trabalho corporal que possibilita não mais considerar idoso o indivíduo com 80 anos. Antigamente, quando se pensava em alguém com 80 anos, era comum ouvir-se: “Puxa, que velho!”. Hoje, conheço muita gente nessa idade que se dedica ao trabalho, toca empresas, leva vida produtiva. O investimento na longevidade saudável, porém, precisa começar cedo. Se a pessoa tem 40 anos e nunca fez exercícios, necessita de uma avaliação prévia, porque pode apresentar hipertensão leve ou níveis alterados de colesterol que requerem cuidados. Como provam os octogenários que correm a maratona, é possível iniciar uma atividade tardiamente. Nos primeiros dias, é aconselhável andar 15 minutos e ir aumentando o esforço aos poucos, até atingir uma hora. Nesse caso, não é válido considerar uma ida ao shopping para ver vitrines, subir e descer alguns lances de escadas e a movimentação própria do trabalho rotineiro, como treinamento regular. Sempre que posso aconselho: ande pelo prazer pessoal de andar. Ande num lugar gostoso, ouvindo música, observando a paisagem. O exercício precisa ser contínuo, cadenciado. Considere-o uma fonte de bem-estar. Uma ala expressiva de estudiosos no assunto garante que se deveria dedicar ao lazer o mesmo tempo que se leva trabalhando. Se isso soa utópico, mas pelo menos há de ser possível encontrar uma hora no dia para revertê-la em benefício pessoal.


Drauzio – Muitos se orientam pela sudorese para avaliar o ritmo adequado dos exercícios. Você concorda com isso?


Carlos Alberto Pastore - A sudorese é sinal de que o indivíduo atingiu certa frequência de batimentos cardíacos. O valor da frequência ideal é obtido por um teste ergométrico e cada pessoa deve exercitar-se ao redor de 80% de sua frequência máxima. Portanto, se o indivíduo está suando em bicas, provavelmente terá ultrapassado os limites desejáveis.


ATIVIDADE FÍSICA PARA CARDÍACOS


Drauzio – Qual a atividade física indicada para quem já teve problemas cardíacos?


Carlos Alberto Pastore - Pessoas que já tenham apresentado problemas cardíacos exigem atenção especial. O início do trabalho está sujeito a uma avaliação criteriosa. Se já houve um infarto de consequências mais graves, é imprescindível verificar que tipo de atividade o coração pode suportar. Como regra geral, a orientação é caminhar, o que raramente apresenta contraindicações. Dependendo da extensão do infarto, ou de tratamentos cirúrgicos que exigiram revascularizaçao, encaminha-se o paciente para uma clínica de reabilitação especializada no acompanhamento de cardíacos.


Drauzio – Quanto tempo após a cirurgia, uma pessoa pode novamente fazer exercícios?


Carlos Alberto Pastore - Em geral, no segundo ou terceiro mês depois da cirurgia, já se pode indicar um trabalho de reabilitação. Recomenda-se que o indivíduo comece a andar. No entanto, embora pareça incrível, mesmo depois do infarto ou de uma cirurgia cardíaca, poucos são os que seguem à risca os conselhos da equipe médica.


O PESO DA EMOÇÃO


Drauzio – Que papel exercem as emoções nos casos de infarto do miocárdio?


Carlos Alberto Pastore - Quando se fala em infarto, a preocupação imediata recai sobre a hipertensão, os níveis elevados de colesterol, os malefícios do fumo. Muitos se esquecem dos efeitos negativos dos fatores emocionais sobre os males do coração. Nos congressos mundiais de Cardiologia, esse tema tem sido abordado com destaque especial, pois foi constatado que, em muitos casos, estados depressivos antecediam os infartos, sugerindo que, se a pessoa baixar a guarda, a probabilidade de um futuro infarto aumenta. Por isso, a depressão passou a ser vista como fator de risco tão importante quanto o colesterol, a pressão alta ou o cigarro. Num dos congressos, o cardiologista clínico do presidente Clinton discutiu sua proposta de trabalho que se tornou famosa pelos bons resultados obtidos. Trata-se de um tratamento que poderia ser chamado de alternativo, porque se baseia, principalmente, em dieta e meditação. Hoje, ninguém mais contesta a importância de estar atento ao lado emocional dos pacientes, antes e depois do infarto, porque a depressão custa a desaparecer. Indivíduos que tiveram um infarto ou foram revascularizados necessitam de suporte psicoterápico e familiar, pois costumam evoluir melhor aqueles que recebem cuidados e carinho das pessoas que o cercam.


Drauzio – Talvez o exercício físico ajude a amenizar esses quadros depressivos. Eu, nos dias em que corro, fico mais feliz. Você concorda com esse papel secundário da atividade física? Carlos Alberto Pastore - Sem dúvida, porque o organismo libera endorfina que ajuda a combater a depressão. Infelizmente, nem todos conseguem aplicar-se a um programa metódico de exercícios. Nesse caso, é preciso combater a depressão de alguma forma para evitar o risco de novo infarto. O COLESTEROL Drauzio – Lembrando que o ideal é valor de colesterol total abaixo de 200, como você orienta seus pacientes que apresentam níveis altos de colesterol?


Carlos Alberto Pastore - Como considero a informação fundamental para a adesão ao tratamento, explico aos pacientes a diferença entre o bom colesterol (HDL), que protege as artérias, pois não deixa a gordura grudar em suas paredes e o colesterol ruim (LDL), produtor de ateromas e de trombos. Como resultado, o objetivo principal é sempre melhorar o valor do HDL e diminuir o do LDL. O exercício, por exemplo, levanta o bom colesterol; o cigarro, abaixa-o. Por razões genéticas, alguns indivíduos não apresentam desequilíbrio algum no metabolismo das gorduras. Outros, por predisposição familiar, apesar da dieta, têm dificuldade de mantê-lo baixo. Felizmente, a farmacologia moderna está empenhada em criar drogas, cada vez mais eficientes, para combater o colesterol. É o caso das estatinas que, quase sem efeitos colaterais, diminuem a agressividade dos ateromas. No exterior, já há quem indique medicação para jovens com história familiar de colesterol elevado.


Drauzio – O colesterol alto pode manifestar-se em crianças cujos pais apresentem também essa característica? Foi publicado, num editorial do New England, que se deveria dosar o colesterol das crianças. Essa recomendação, feita há alguns anos, teria provocado estranheza. O que você acha disso?


Carlos Alberto Pastore - O colesterol elevado é uma doença e como tal deve ser encarado. Tenho um paciente que sofreu um infarto aos 30 anos e o colesterol de seu filho de 12 anos é 400. Se existem sinais de predisposição genética, as crianças precisam ser observadas. Além disso, numa família com tais características, prevenir é o melhor remédio. Cultivar, nas crianças, hábitos alimentares saudáveis pode representar excelente profilaxia, pois de nada adiantam dietas espartanas feitas durante um mês ou dois. Persistência e bom-senso são fundamentais para enfrentar essa dificuldade. Entretanto, não se deve abrir mão de certos prazeres. Oriento meus pacientes a terem juízo de segunda a sexta-feira: bom café da manhã, almoço caprichado e jantar frugal. Quando surgir uma festa no meio da semana, aceitem o convite, mas antes de sair comam algo que faça parte de sua dieta. Assim fica mais fácil resistir às tentações. Aos sábados e domingos, permitam-se algumas extravagâncias, mas esqueçam-se delas novamente, na segunda pela manhã.


A BEBIDA ALCOÓLICA


Drauzio – Como você orienta seus pacientes quanto à ingestão de álcool?


Carlos Alberto Pastore - Peço sempre moderação. Mesmo o vinho que, em pequenas doses, pode trazer algum benefício para o colesterol e o coração, deve ser bebido com parcimônia, pois há órgãos, como o fígado e os intestinos, que reagem negativamente à ingestão de bebidas alcoolicas. Além disso, o álcool é altamente calórico, portanto desaconselhável para quem não pode engordar. Esse ponto de vista choca-se sempre com o argumento de que, na Europa, beber vinho é um costume visto como salutar. Acontece que o clima do Brasil é muito diferente do europeu e a bebida aqui não se restringe a um ingênuo cálice de vinho tinto. Por isso, a bebida não consta de minhas prescrições terapêuticas. No entanto, volto a repetir que, com moderação, nada é proibido. Portanto, beber esporadicamente, em ocasiões especiais, de preferência durante as refeições, não acarreta maiores prejuízos a ninguém.


Pressão alta

http://drauziovarella.com.br/
Pressão alta:

Pressão alta é doença traiçoeira. Quando os sintomas aparecem, a doença está instalada há muito tempo e já comprometeu o funcionamento de vários órgãos. Para se ter uma ideia, no Brasil, 20% da população e metade das pessoas acima dos 65 anos sofrem de hipertensão arterial. Embora menos prevalente do que nos adultos, a doença também pode manifestar-se na infância.

Considera-se que uma pessoa é hipertensa se os níveis da pressão arterial forem iguais ou superiores a 14/9. Nos casos de hipertensão leve (14,5/9, por exemplo), mudanças no estilo de vida podem contornar o problema. Emagrecer, não abusar do álcool e do sal de cozinha, fazer esportes, caminhar, evitar situações estressantes, não fumar são dicas importantes para quem precisa controlar a pressão. Muitos pacientes, porém, apesar da boa vontade, nem sempre conseguem atingir o objetivo proposto e precisam tomar remédios todos os dias até o fim da vida para controlar a pressão arterial.

Medir a pressão pelo menos uma vez por ano é, geralmente, a única maneira de estabelecer um diagnóstico precoce.


DIAGNÓSTICO DA HIPERTENSÃO


Drauzio – A partir de que valores considera-se que uma pessoa sofre de pressão alta?


Sílvia Pinella– O valor de referência da pressão alta mudou. Atualmente, considera-se que valor igual ou superior a 14/9 é indicativo de hipertensão. É importante destacar, porém, que uma medida isolada não permite estabelecer um diagnóstico seguro. Para caracterizar uma pessoa como hipertensa, são necessárias várias medidas tomadas em momentos diferentes a fim de excluir a possibilidade de um estresse passageiro ou de sobrecarga de sal no dia anterior, por exemplo.


Drauzio – Sempre me intrigou o conceito de que se devem considerar vários controles para estabelecer o diagnóstico. Veja o caso da pressão que sobe quando a pessoa fica nervosa porque está sendo examinada pelo médico. O fato de ter ocorrido esse aumento já não reflete uma certa labilidade da pressão arterial? Como reagirá essa pessoa ao estresse do dia a dia? Não terá outros picos de pressão?

Sílvia Pinella – É provável que sim, mas insisto: para classificar uma pessoa como hipertensa, é preciso que manifeste pressões consideradas altas na maior parte do dia. A técnica, nos consultórios, é medir a pressão mais de uma vez. Se notar que ela está estressada ou ansiosa, o médico deve tentar distraí-la e acalmá-la e, no final da consulta, quando a sentir mais relaxada, medir de novo a pressão. Se continuar alta, terá obtido mais um indício favorável ao diagnóstico de hipertensão.


Drauzio – Não faz muito tempo, a pressão 14/9 era considerada normal. Por que mudou esse critério?


Sívia Pinella – Esses valores mudaram visando à diminuição dos fatores de risco sobre a mortalidade e a morbidade cardiovascular. O que quer dizer isso? Quer dizer que quanto mais alta a pressão, maior a possibilidade de a pessoa ter uma doença que atinja seu cérebro, coração ou rins. Está provado que, quando se reduz o valor da pressão arterial, as condições orgânicas melhoram bastante.


Drauzio – Qual o valor ideal da pressão arterial?


Sílvia Pinella – Em torno de 12/8. Em portadores de diabetes ou doença cardíaca instalada, os valores 14/9 não são toleráveis. Atualmente se preconiza que a pressão desses pacientes, deve ser no máximo 12/8.


Drauzio – Tanto faz que seja um jovem ou uma pessoa de 70 anos, o valor da pressão deve ser igual ou menor do que 12/8?


Sílvia Pinella – Independentemente da idade, os níveis da pressão devem ser esses. Na verdade, o critério mudou em relação ao idoso. No passado, acreditava-se que a pessoa mais velha, por apresentar um endurecimento natural das artérias, podia ter uma pressão sistólica (a pressão máxima) mais elevada. Hoje, já se comprovou que quanto mais alta a pressão arterial, maior o risco de o idoso apresentar um evento vascular cardíaco ou cerebral. Por isso, preconiza-se que também para as pessoas mais velhas o valor de referência seja no máximo 13,5 por 8,5.


HIPERTENSÃO: DOENÇA ASSINTOMÁTICA E TRAIÇOEIRA


Drauzio – Você concorda que a hipertensão é uma doença traiçoeira?


Sílvia Pinella – Estou completamente de acordo. A hipertensão é uma doença assintomática até que se instalem os problemas por ela causados. Muita gente acha que tem pressão alta porque sente dor de cabeça. Não é verdade. Em geral, o hipertenso vai se adaptando ao aumento da pressão e só se dá conta dos danos quando cérebro, coração, rins, retina ou a circulação estão gravemente afetados. A hipertensão é um assassino silencioso que vai corroendo as artérias sem a pessoa notar o que está acontecendo.

O fato de ser uma doença sem sintomas dificulta conseguir a adesão ao tratamento. Além disso, remédios para controlar a pressão podem ter alguns efeitos desagradáveis que desaparecerão, porém, em pouco tempo.


HIPERTENSÃO NA INFÂNCIA


Drauzio – Desde que idade e com que frequência se deve medir a pressão arterial?


Sílvia Pinella – Todas as pessoas devem fazê-lo pelo menos uma vez por ano. Existem casos de hipertensão na infância. São mais raros, mas existem e devem ser considerados. Assim, a criança que vai ao pediatra para uma consulta de rotina deve ter a pressão arterial medida. Basta que isso seja feito uma vez por ano. É sempre importante lembrar que filhos de pais hipertensos têm grande probabilidade de desenvolver a doença.


Drauzio – Quais as principais causas da hipertensão na infância?


Sílvia Pinella – A principal causa é a coarctação (estreitamento) da aorta. A aorta é um grande distribuidor de sangue para o organismo, mas a irrigação sanguínea pode ficar prejudicada se houver uma redução no calibre dessa artéria logo abaixo do local de onde partem as ramificações que se distribuem pelos braços. Como consequência, por exemplo, os rins funcionam mal, como se não estivessem recebendo sangue nenhum e a pressão arterial aumenta. Para detectar o problema, basta medir a pressão nas pernas e nos braços. A diferença de valores mostrará que nos membros superiores a circulação é normal, enquanto nos inferiores está bastante prejudicada. Outro fator importante para a ocorrência da hipertensão na infância está ligado às doenças renais. Felizmente, a hipertensão secundária provocada por essas patologias tem cura, o que não acontece com a hipertensão essencial (genética), rara na infância e sem causa definida, pois são inúmeros os fatores que interferem no aumento da pressão arterial.


Drauzio – Os pediatras costumam medir a pressão das crianças?


Sílvia Pinella - Acho que todos medem. As mães, porém, às vezes pensam que crianças não têm problemas de saúde e não as levam ao pediatra com regularidade. Por isso, vale o alerta de que também as crianças devem ir ao médico e medir a pressão pelo menos uma vez por ano, especialmente se na família há casos de hipertensão precoce.


Drauzio – Essas crianças levam vida normal, sem manifestar sintomas que denunciem a hipertensão?


Silvia Pinella – Não há sintomas aparentes. Como acontece com o adulto, sutgirão doenças associadas à hipertensão que evoluem mais rapidamente nas crianças porque, em geral, os picos de pressão são mais altos e não houve tempo suficiente para a adaptação do organismo aos níveis mais elevados.


HIPERTENSÃO LEVE


Drauzio – Vamos imaginar que você atenda um paciente com pressão 14/9. Como você o orienta?


Sílvia Pinella – Trata-se de um hipertenso leve e a primeira medida é cuidar de sua qualidade de vida como um todo, um dos objetivos mais difíceis de atingir porque envolve hábitos adquiridos há muito tempo. A orientação visa à mudança do estilo de vida: perder peso, comer pouco sal, praticar esportes, deixar de fumar, reduzir a ingestão de álcool, controlar os níveis de estresse.

A princípio, não se medica esse paciente. Entretanto, se depois de um ano, a situação continua a mesma, é necessário introduzir medicamentos para controle da pressão. Atualmente, existem várias opções terapêuticas com quase nenhum efeito adverso. Em geral, os homens não queriam tomar esses remédios porque temiam ficar impotentes. O efeito adverso sobre a libido praticamente desapareceu com a descoberta de novas drogas.


COMPLICAÇÕES DA DOENÇA


Drauzio – Quais são os problemas que surgem com a manutenção dos níveis elevados de pressão arterial?


Sílvia Pinella – Entre os principais problemas destacam-se as doenças cardiovasculares cerebrais e cardíacas, as complicações oculares e renais e a impotência sexual. Vamos retomar como a hipertensão age sobre os diferentes órgãos:


a) cérebro

O acidente vascular cerebral, ou derrame cerebral, ocorre porque a pressão do sangue rompe pequenas artérias do cérebro (AVC hemorrágico) ou porque a pressão vai deteriorando as artérias terminais que entopem e interrompem o fluxo sanguíneo (AVC isquêmico).


b) coração

No que se refere ao coração, quando submetido a níveis altos de pressão, o órgão torna-se musculoso resultado do esforço maior que faz para bombear o sangue diante da resistência oferecida pela circulação periférica. É como um esguicho com a ponta fechada que se dilata com a força da água. Para piorar a situação, as coronárias não acompanham o coração nesse crescimento. Músculo aumentado consome mais oxigênio. Resultado: alto consumo e baixa oferta de oxigênio. Esse descompasso faz com que o coração sofra progressivamente até entrar em falência, porque não consegue bombear o sangue de forma adequada. Coração inchado é sinal de hipertensão antiga e não tratada. Em alguns lugares do interior do Brasil, de difícil acesso aos cuidados de saúde e à informação, é comum encontrar pacientes com o coração dilatado decorrente da hipertensão. Nos grandes centros, a enfermidade é menos frequente porque, em geral, as pessoas são mais informadas.

O infarto é outra complicação cardíaca associada à hipertensão, pois as coronárias submetidas ao sistema de maior pressão podem entupir mais rápida e progressivamente até que, em dado momento, o sangue deixa de irrigar o músculo cardíaco.


c) olhos

Os vasos da retina são muito finos e delicados e a hipertensão pode fazer com que se rompam ou entupam provocando a perda da visão. Quando a pressão sobe rapidamente, isto é, durante a crise hipertensiva, há uma alteração visual aguda provocada pelo inchaço do nervo que conduz os estímulos visuais. Se a doença for crônica, porém, ao longo dos anos a ocorrência sistemática de pequenas hemorragias ou entupimentos na retina pode passar despercebida, porque o paciente se adapta à perda paulatina da visão.


d)rins e impotência sexual

Urinar bastante não quer dizer que os rins estejam funcionando adequadamente. A pressão alta, além de exercer efeitos deletérios sobre os rins que vão perdendo a função a ponto de ser necessário recorrer à diálise, pode provocar também impotência sexual. A ereção depende da chegada do sangue ao pênis. Se ele não chega porque os vasos sanguíneos estão entupidos, a ereção não ocorre.


Drauzio – Essa queixa de impotência sexual aparece em que faixa etária?


Sílvia Pinella - Acima dos 50/55 anos. Antes disso é raro acontecer. No entanto, dependendo dos níveis da pressão arterial, a evolução do problema poderá ser mais lenta ou mais rápida.


Drauzio – Quando se institui o tratamento e a pressão volta para os níveis normais, o grau de impotência diminui?


Silvia Pinella – Na verdade, a impotência é reflexo de um estágio avançado de entupimento vascular e não se consegue recuperar o que já foi lesado. Por isso, é importante iniciar o tratamento precocemente. Quanto mais cedo for feito o diagnóstico e controlada a pressão, melhores serão os resultados.


TRATAMENTO DA HIPERTENSÃO


Drauzio – Há 20 ou 30 anos, havia poucas drogas para tratar da hipertensão. Hoje, o número aumentou consideravelmente. Você acha que elas são suficientes ou ainda é necessário evoluir na área de produção desses medicamentos?


Silvia Pinella – Acho que a evolução é sempre bem-vinda. Novas drogas com menos efeitos adversos e mais potentes para controlar a pressão com uma única dose diária trarão benefícios importantes para o bem-estar do paciente.

Na verdade, já existe no mercado uma quantidade significativa de drogas capazes de controlar a pressão com poucos efeitos colaterais, mas é fundamental selecionar o remédio ideal para cada paciente. Não é porque um remédio é moderno ou caro que será eficaz em todos os casos. Por exemplo, para os diabéticos existe uma classe específica de drogas que além de controlar a pressão, diminui o risco de infartos, de derrames cerebrais e protege os rins contra os efeitos maléficos da hipertensão. Já os idosos demandam medicações que controlem a subida da pressão sistólica (máxima).

De qualquer forma, remédios para hipertensão precisam ser tomados pela vida inteira. As doses, porém, podem precisar de ajuste de tempos em tempos, para mais ou para menos, dependendo das condições em que se encontra o paciente. A recomendação é que o hipertenso seja avaliado a cada seis meses para garantir a eficácia do tratamento.


Drauzio – O tratamento da hipertensão é praticamente uma especialidade nova na medicina atual?


Sílvia Pinella – Existem grupos específicos preocupados com essa doença. No Incor, por exemplo, há um grupo que só se dedica ao controle da pressão. O clínico pode fazer a triagem e o acompanhamento inicial, mas níveis altos de pressão arterial exigem a intervenção de um cardiologista.


Drauzio – O tratamento das doenças crônicas que precisam ser medicadas indefinidamente é um dos grandes desafios da medicina, você não acha?


Sílvia Pinella – Sem dúvida, a pressão alta é uma dessas doenças. Fazer o paciente tomar remédio pela vida toda é uma dificuldade que se enfrenta na clínica. É lógico que existem fatores que interferem no nível da pressão e que se tenta modificar corrigindo desvios na dieta, na ingestão de álcool e de sal, no hábito de fumar, nos níveis de estresse.

Homens, em geral, abusam um pouco mais das bebidas alcoólicas. Então, se preconiza que o máximo tolerado por dia seja uma latinha de cerveja, um copo de vinho (100ml) ou uma dose de uísque (30ml), porque o álcool em quantidades maiores faz subir a pressão.

No que se refere ao sal, a orientação é cozinhar com pouco sal e abandonar o costume de colocá-lo sobre os alimentos à mesa. É importante destacar que a quantidade necessária para o organismo já existe naturalmente nos alimentos. Acontece que o sal deixa a comida mais palatável e nos acostumamos com seu sabor.


Drauzio – A questão do sal é um pouco controversa. Pessoas sem tendência à hipertensão, cujos rins funcionam bem, teoricamente podem comer sal à vontade. A limitação é indicada para aquelas com tendência à pressão alta. Você retira o sal obrigatoriamente da dieta ou segue a linha de que se deve evitar o abuso?


Sílvia Pinella – Como disse, a orientação é cozinhar com pouco sal e tirar da mesa o saleirinho usado para salgar mais os alimentos que estão no prato.

Não se discute que o sal enriquece o paladar, mas seu consumo é só uma questão de hábito. Depois que a pessoa começa a comer com pouco sal, acostuma-se de tal forma que estranha se a comida estiver um pouco mais salgada.


OUTRAS RECOMENDAÇÕES


Drauzio – A recomendação geral é que todas as pessoas parem de fumar, mas quais são os prejuízos que o cigarro causa especialmente para os hipertensos?


Sílvia Pinella – A associação da doença hipertensiva com o cigarro é muito perigosa. Os dois possuem ação semelhante: lesam e entopem progressivamente os vasos sanguíneos. Além disso, o cigarro influi sobre o aumento da frequência cardíaca, da própria pressão arterial e do consumo de oxigênio. Em suma, fumar é especialmente contraindicado para quem sofre de hipertensão.


Drauzio – Qual é a influência do peso corpóreo sobre o aumento da pressão?


Sílvia Pinella - Obesos têm pressão arterial mais alta e maior tendência a desenvolver diabetes. Perder peso pode trazer reduções drásticas nos níveis da pressão. Emagrecer três ou quatro quilos é o suficiente para reduzir em 20% esses níveis ou, em certos casos, até para normalizar a pressão.


Drauzio – Que tipo de orientação nutricional você dá a seus pacientes?


Sílvia Pinella – Diminuir a quantidade de sal e de gorduras é a primeira recomendação. Gordura em excesso é sempre prejudicial. Quando necessário usá-la, deve dar-se preferência aos óleos vegetais.

O paciente que quer perder peso precisa cortar o consumo de carboidratos, um dos maiores responsáveis pela obesidade. Doces, bolos, chocolates, balas têm de ser eliminados da dieta. Os carboidratos estruturais (massas, arroz, pães, batata, etc.) devem ser ingeridos com parcimônia.


Drauzio – O café faz subir a pressão?


Silvia Pinella – O café é um estimulador cardíaco e dos vasos sanguíneos que pode provocar taquicardia, vasoconstrição e liberar adrenalina.


Drauzio – Para as crianças, a recomendação é diferente?


Silvia Pinella – Para as crianças, as recomendações são praticamente as mesmas. A diferença é que, na criança, a hipertensão tem, em geral, uma causa tratável, diferente do que acontece com a maioria dos adultos. Neles as causas da pressão alta são múltiplas: obesidade, genética, sedentarismo, estresse, influência do meio ambiente e do tipo de alimentação, etc.


Drauzio – Qual é a importância da atividade física para o controle da pressão arterial?


Silvia Pinella – A atividade física é essencial para o controle da pressão arterial. Ela melhora a performance cardíaca e faz o pulmão trabalhar melhor. Antigamente se preconizava apenas os exercícios aeróbicos (corrida, bicicleta, caminhadas, natação) para os hipertensos que não deveriam fazer exercícios anaeróbicos, por exemplo, musculação, porque a resistência própria desse tipo de exercício faz a pressão subir. Desde que a pressão esteja controlada, eles podem fazer musculação três vezes por semana, contanto que mantenham constante a prática dos exercícios aeróbicos.


Drauzio – Esse é um conceito importante, porque muita gente com pressão alta tem medo de fazer exercícios. Na verdade, quem tem pressão alta precisa de muita atividade física.

Sílvia Pinella – A única coisa que se pede é que haja um controle dos níveis da pressão para que a pessoa possa fazer os exercícios com mais segurança. O hipertenso tem um padrão de resposta ao exercício diferente: tanto a máxima (sístole) quanto a mínima (diástole) sobem e, porque a abertura dos vasos sanguíneos não ocorre ou é insuficiente, o objetivo da prática de atividade física é fazer a mínima baixar como acontece com os normotensos que, durante os exercícios, têm aumento da pressão máxima e diminuição da mínima para que os músculos fiquem bem irrigados.


Drauzio – Que estratégia você usa para motivar os doentes a tomarem remédio todos os dias até o fim da vida para manter a pressão normal?


Sílvia Pinella - Acho que o esclarecimento é o melhor caminho. Os pacientes que sabem que sua pressão só está controlada porque estão tomando remédio, sabem também que ela irá subir se a medicação for suspensa.

Na prática, porém, nem sempre essa norma é respeitada. Iludidos pelos valores 12/8, conseguidos à custa do tratamento, muitas vezes, eles deixam de tomar os medicamentos e a pressão aumenta. É preciso lembrar que esses picos são perigosos para o cérebro e o coração.


COMEMORANDO O ANIVERSÁRIO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO

http://zilkacreche.blogspot.com/
O Rio e seus encantos.
COMEMORANDO O ANIVERSÁRIO DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO:
Hoje, dia 1º de março, comemoramos o aniversário da Cidade do Rio de Janeiro na creche. Após conversa, dramatizações e envios de presentes para a cidade maravilhosa, a criançada dos maternais II cantaram parabéns com as educadoras com muita animação.
"RIO EU GOSTO DE VOCÊ..."


Promovendo a Amamentação nas Unidades de Educação Infantil da Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro

http://semanadobebecarioca.blogspot.com/
Promovendo a Amamentação nas Unidades de Educação Infantil da Rede Municipal de Educação do Rio de Janeiro:
A rede de promoção de amamentação nas creches vem realizando encontros com objetivo de estimular essa prática e planejar coletivamente as estratégias para abordar esse tema. É também o momento de apresentar e distribuir os materiais de apoio: o painel interativo, que tem como objetivo fazer circular informações para mães e comunidade escolar; os procedimentos operacionais padrão que são guias passo a passo para coleta, armazenamento e oferta do leite materno. No primeiro encontro de 2012 o público se ampliou, estavam presentes profissionais de creches, maternidades e da Estratégia da Saúde da Família.


Bebês em creches municipais são matriculados a partir de seis meses e têm direito a mamar leite materno, tanto diretamente no peito da mãe como o ordenhado. Historicamente, a alimentação complementar saudável é garantida: todos os dias um cardápio variado, que inclui alimentos que fazem parte do hábito alimentar dos cariocas.


A convicção da superioridade do leite humano e o intuito de promover e apoiar a amamentação nas unidades de ensino levou a formação de um Grupo de Trabalho Intersetorial (GTI) com profissionais das Secretarias Municipais de Saúde e Defesa Civil, de Educação e de Assistência Social. Esse GTI é constituído de trabalhadores do Instituto de Nutrição Annes Dias (INAD/SMSDC), da Gerência de Programas de Saúde da Criança (GPC/SMSDC) e da Gerência de Educação Infantil (GEI/SME).


As ações são planejadas com o objetivo de estimular essa prática entre as mães que tem filhos inscritos na rede da educação infantil da SME-RJ e segue as diretrizes do Ministério da Saúde: leite materno exclusivo até seis meses e complementado até dois anos. Tem como perspectiva o acolhimento de mães e bebês para a amamentação com conforto e carinho. Ressalta os benefícios individuais e coletivos como o impacto na redução da morbimortalidade infantil.

Em 2010 foram realizadas as primeiras oficinas nas creches para estimular o brincar, a utilização de materiais lúdicos, a contação de histórias, a invenção de estórias, bem como a discussão sobre os brinquedos que fazem parte da vida das crianças: bonecas que vem com mamadeiras e chupetas. Nessas oficinas, funcionários experimentaram e aprovaram materiais lúdicos educativos elaborados pela ONG Amigas do Peito, que incluíram: tapete, livros, animais e seus filhotes e um casal de bonecos de pano com seu filho para ser amamentado por sua mãe. Experiências que através do brincar de mamar no peito, trazem para perto a vivência da relação mãe bebê e família bebê. Algo que faz parte da vida, do presente, das memórias, da cultura. As brincadeiras recuperam histórias de vida e ajudam a pensar no futuro, favorecendo acima de tudo a formação da cultura da paz pela promoção dos vínculos familiares e da rede de solidariedade em prol do pleno desenvolvimento da primeira infância e, em especial, da amamentação.


Com isso, o grupo de trabalho recebeu relatos das atividades de reflexão sobre práticas educativas que possam trazer a promoção da amamentação para o dia a dia das crianças maiores, entendendo essa como a primeira alimentação segura, saudável, capaz de trazer benefícios para toda a vida adulta, auxiliando na prevenção das chamadas doenças crônicas, como obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares.


Recentemente, um novo recurso didático pedagógico elaborado pelo INAD vem sendo distribuídos, inicialmente para 150 unidades da SME e da SMSDC. Trata-se do Painel Interativo citado no início. Nele há uma pergunta para estimular os sentimentos: “A mãe dá o peito. O que sente o bebê?”.

Os momentos de reflexão sobre o uso do painel tem sido riquíssimos com o resgate histórico da época do desmame comerciogênico no Brasil, durante às décadas de 1940 a 1970, e da retomada da promoção, proteção e apoio à amamentação enquanto uma política nacional de saúde pública, adotada de forma efetiva pelo município do Rio de Janeiro, ganhador do Prêmio Bíbi Vogel – 2011, por suas ações nessa área específica.


Texto de Joana D’Arc Dantas e Rosane Rito.

Bebê Carioca no Carnaval de Rua do Rio

http://semanadobebecarioca.blogspot.com/
Bebê Carioca no Carnaval de Rua do Rio:



Colocamos o BLOCO DO BEBÊ CARIOCA na RUA!!!!

É bem verdade que fomos uma ALA no Bloco Bagunça o Meu Coreto, na terça-feira gorda do Carnaval de 2012. O bloco foi em Laranjeiras, na AP 2.1, na Praça São Salvador, pela manhã.

Para primeira experiência, nossa participação no Carnaval foi jóia!!! Foi um momento de encontro e curtição para os que quiseram botar o bloco da Primeira Infância na RUA!!! Familiares e amigos acompanharam o pessoal que literalmente vestiu e customizou sua camiseta da I Semana do Bebê Carioca e caprichou nos adereços para cabeça!!!

Certamente deixamos de encontrar muitos amigos, pois a Praça São Salvador estava cheia!!! Se bem que na opinião dos adolescentes que integraram o grupo, o bloco estava muito tranquilo em relação aos demais blocos da cidade!!! Ainda assim, mais de 50 pessoas engrossaram nossa bandeira, o que faria uma tremenda vista se todos estivessem vestindo nossa camiseta.


Para o ano será com certeza muito melhor, pois já estamos cheios de ideias e aproveitamos esse espaço também para receber todas as sugestões para que nossa causa de VALORIZAÇÃO DA PRIMEIRA INFÂNCIA ganhe maior destaque.


Primeiras ideias para o Carnaval de 2013:

1) Fortalecer a parceria com o Bloco Balança o Meu Coreto, que já tinham nos autorizado a levar faixas e estandarte! Solicitar que a marchinha "Mamãe eu Quero Mamar!!!” seja adaptada para a nossa versão cantada pelo CMS Maria Aparecida Almeida;

2) Ter uma tenda para distribuirmos camisetas principalmente para nossos convidados e interessados. Além disso, disponibilizarmos material para customização na hora;

3) Distribuirmos algum adereço carnavalhesco, como ventarolas, que levem a mensagem de valorização da Primeira Infância e brindes para a criançada;

4) O Bloco começa às 10h e sai para o cortejo às 11h. Sugiro chegarmos às 9h para irmos customizando as camisetas e permanecermos na Praça São Salvador, pois fica mais vazia, mas com muita música e nos permitirá uma maior integração e diversão do nosso grupo.

5) Começarmos uma divulgação da nossa ALA BEBÊ CARIOCA - CARNAVAL 2013, com maior antecedência. Podemos também realizar ação junto à população freqüentadora da Praça São Salvador durante as semanas anteriores, e quem sabe conseguir uma comissão de frente com mães e seus bebês!!!

6) Podemos ver se outros profissionais gostariam de tentar outras parcerias nas suas comunidades para participações da ALA BEBÊ CARIOCA - CARNAVAL 2013 em blocos locais.
















Bom, VALEU!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Esperamos muito mais diversão para 2013!!!!!!!!!!

Aguardamos novas idéias!


Curta mais algumas fotos no link:

http://www.facebook.com/media/set/?set=a.235248233232748.53110.100002427198887&type=3

O Rio de Janeiro de 1608 a atualidade

Que trabalho interessante, recuperando a história do Rio.
Parabéns!!!
O Rio de Janeiro de 1608 a atualidade:
As modificações sofridas na paisagem geográfica da Cidade do Rio de Janeiro do século XVII ao século XXI. São exemplos dessa modificação o Porto do Rio de Janeiro e a Praça XV.

Porto do Rio de Janeiro



Praça XV de Novembro


Parabéns meu Rio Maravilhoso!!!



Vídeos com aulas de americano são vistos 200 mil vezes em português

http://ultimosegundo.ig.com.br/educacao/index.html

Vídeos com aulas de americano são vistos 200 mil vezes em português:

Cinthia Rodrigues, iG São Paulo

Sucesso mundial, Khan Academy em português chega a quase 700 aulas traduzidas. Autor não aparece

Um tio bom de matemática ajudando a sobrinha. Foi assim que começou o que se tornou o maior sucesso de audiência de aulas pela internet, a Khan Academy, ambiente no youtube com 2.800 vídeos já vistos mais de 125 milhões de vezes. Agora, uma versão em português está sendo construída. Com a maioria das 693 aulas postadas entre dezembro e fevereiro tem, por enquanto, 200 mil visualizações.


Quem dá as aulas é o americano com ascendência indiana Salman Khan, de 35 anos, que não é professor e nunca ensinou em uma escola comum. Nos vídeos, ele não aparece e usa apenas um programa que simula canetas coloridas em uma lousa preta.


Os primeiros vídeos foram gravados em 2004 para uma sobrinha que estava com dificuldades em matemática. Depois de algumas conversas, ele concluiu que a melhor forma seria explicar no horário que ele pudesse e ela assistiria quando quisesse. Outros familiares começaram a assistir e, logo, a conta aberta no youtube começou a receber estranhos que agradeciam a aula grátis.


Em 2009, já com milhões de acessos por ano, o engenheiro formado pelo Massachussetts Institute of Tecnology largou o emprego para se dedicar exclusivamente às aulas. No ano passado, escolas americanas começaram a incentivar o uso dos vídeos e introduziram um sistema de acompanhamento dos resultados.


Em janeiro, a ideia foi trazida ao Brasil pela Fundação Lemann, em parceria com o Instituto Natura e o Instituto Península, anunciou que levará a ferramenta Khan Academy para escolas públicas brasileiras. Inicialmente, será um projeto piloto em seis turmas de 5º ano (antiga 4ª série) de escolas municipais de São Paulo. No segundo semestre, a experiência deve ser levada a mais 15 escolas, totalizando 1000 alunos beneficiados.


A instituição acelerou a tradução dos vídeos que hoje são de aritmética, biologia, química e física para o português. Em maio de 2011, quando os primeiros voluntários iniciaram as traduções, a versão em português surgiu com cinco aulas, no mês seguinte foram quatro e em julho 15. Em dezembro, mais de 200 vídeos foram traduzidos e a Lemann traduziu outros 95 em 2012.


A simplicidade é o que mais chama atenção nos vídeos. A maioria dos comentários elogia, mas alguns questionam se há diferença para uma aula tradicional e afirmam que os métodos são antiquados. Para avaliar, é necessários esperar o resultado das escolas que participarão do projeto piloto ou testar no site da Khan Academy em português.


Experimente aqui: Khan Academy em português

Estudo e hábitos saudáveis são grandes aliados para manter a saúde da memória

http://www.blog.saude.gov.br/
Estudo e hábitos saudáveis são grandes aliados para manter a saúde da memória:

Foto: Mike Kemp/Blend Images/Corbis


Quem nunca esqueceu um número de telefone, o que ia fazer em determinado cômodo da casa ou algo de importante que tinha para falar? A memória, capacidade de adquirir, armazenar e recuperar informações, precisa de cuidados para funcionar plenamente.

A neurologista do Hospital Federal da Lagoa do Rio de Janeiro, vinculado ao Ministério da Saúde, Tâmara Checcacci, explica que existem diferentes tipos de memória, distribuídos em várias regiões do cérebro. Eles podem ser classificados como de curto e longo prazo.


Segundo ela, quando alguém registra e mantém uma informação que vai ser utilizada imediatamente como, por exemplo, um número de telefone que decorou só para anotar em um papel, está utilizando a memória que chamamos de curto prazo. Mas se o número for armazenado por período de tempo maior e a pessoa consegue lembrar os dados, mesmo depois de dias, a informação está armazenada na memória de longo prazo.


A neurologista conta que independente do tipo, ambas as memórias são importantíssimas nas tarefas do cotidiano. “A memória de curto prazo é vital para a gente executar tarefas simples e deve ser exercitada sempre. A criação de rotinas pode até ajudar a pessoa a concluir atividades de forma rápida, mas pode atrapalhar a exercitar a memória. Por isso, é importante ter equilíbrio e tentar, ao máximo, trazer novas situações e experiências para trabalhar a memorização. Isso vai ajudar, inclusive, a armazenar informações que serão usadas em longo prazo”.


A especialista explica que após os 40 anos de idade as pessoas devem ficar ainda mais atentas para os cuidados com a memória. “Pintura e artesanato são atividades ocupacionais importantes para passar o tempo e conhecer pessoas e ambientes. Para trabalhar efetivamente a memória é preciso estudar novos assuntos, como nos tempos de escola. É preciso estimular o conhecimento”, afirma. De acordo com ela, deve-se optar por temas prazerosos, capazes de trazer bem-estar. “Não adianta querer aprender novas coisas que não se tem afinidade porque não terá o efeito esperado. Isso pode ser feito voltando para a faculdade, fazendo uma especialização, aprendendo outra língua ou mesmo estudando qualquer outro assunto de interesse”.


Alimentação e atividade física também são relevantes. De acordo com neurologista do Hospital Federal da Lagoa do Rio de Janeiro, vinculado ao Ministério da Saúde, Tâmara Checcacci, certos alimentos, aliados à prática de exercício, podem aumentar a capacidade de memorização, pois fornecem os nutrientes corretos como, proteínas, minerais e vitaminas, para um bom desempenho do cérebro. “Consumir frutas, verduras, carnes brancas e cereais são vitais para cuidar da memória. Deve-se evitar alimentos gordurosos e frituras ao máximo. Além disso, unir uma boa alimentação à atividade física, regularmente, é determinante para garantir boa saúde física e mental”.


A especialista esclarece qual a melhor receita para manter a memória saudável: “Comer de forma balanceada, fazer atividades físicas, estudar, manter o bom humor, cantar, pensar positivamente e apreciar as coisas simples da vida são fatores importantes. Somos um conjunto de fatores e, por isso, é muito importante manter o equilíbrio. Um corpo saudável otimiza a memória e traz a longevidade. Assim como uma mente saudável traz para o corpo benefícios e previne doenças”.


Tecnologia – Estão enganados aqueles que acreditam que recorrer constantemente à agenda do celular ou utilizar sites de busca quando a memória falha a torna mais fraca. A neurologista explica que se por um lado as pessoas não fazem mais questão de lembrar números de telefones e dezenas de informações que podem ser consultadas a qualquer momento, por outro elas exercitam a atividade cerebral aprendendo a utilizar novas ferramentas. “Quando a pessoa aprende a mexer na função do celular, que armazena a agenda telefônica, ou aprende a mexer no computador para achar aquilo que ela precisa também está trabalhando a memória. Então, não podemos ver a tecnologia como ponto negativo, mas sim como aliada na aquisição de novos conhecimentos e exercício da memória”, explica.


Fonte: Soraya Lacerda/ Ministério da Saúde

Rio +20 no @ciepglauberocha.

Rio 20 no @ciepglauberocha.: Rio+20 no @ciepglauberocha.

Criança Segura promove curso: responsáveis e familiares podem aprender a prevenir acidentes gratuitamente!

http://primeirainfancia.org.br/
Criança Segura promove curso: responsáveis e familiares podem aprender a prevenir acidentes gratuitamente!: A ONG Criança Segura abre inscrições para seu curso a distância direcionado aos responsáveis e familiares dispostos a aprender como evitar acidentes com seus filhos, netos e crianças de seu convívio. Para a primeira turma de 2012 as inscrições podem … Continuar lendo

Favelas do Brasil estão entre os locais que não oferecem qualidade de vida para crianças, diz Unicef

http://primeirainfancia.org.br/
Favelas do Brasil estão entre os locais que não oferecem qualidade de vida para crianças, diz Unicef: Mais de 1 bilhão de crianças no mundo vivem em áreas urbanas, mas muitas estão fora das escolas e não têm acesso aos serviços de saneamento básico nem de saúde. As favelas do Brasil foram citadas, por especialistas estrangeiros, como … Continuar lendo

O Ministério da Saúde e o Ministério da Educação lançam em 2012 a Semana de Mobilização da Saúde na Escola, que acontecerá anualmente com um tema de mobilização nacional.

http://www.portalconass.org.br/
O Ministério da Saúde e o Ministério da Educação lançam em 2012 a Semana de Mobilização da Saúde na Escola, que acontecerá anualmente com um tema de mobilização nacional.

CONVITE - Mapeamento digital guiado pela juventude em áreas de risco sócio ambiental



Prezados parceiros,

Gostariamos de convida-los para o painel de apresentação do Mapeamento digital guiado pela juventude em áreas de risco sócio ambiental, promovido pelo IPP e Unicef com apoio da Subsecretaria de Defesa Civil. O mapeamento realizado pelos jovens eh uma metodologia inovadora (disseminada pelo Instituto de Tecnologia de Massachusetts), que possibilita a realizacao de diagnosticos participativos numa comunidade. Exemplos: identificacao das rotas de fuga para situacoes de emergencia; problemas de transito no caminho para a escola; focos potenciais de dengue; equipamentos culturais e esportivos; locais de encontro de jovens; pontos de venda de frutas, legumes e verduras; etc. No evento serao apresentados os mapas construidos pelos adolescentes e discutido o uso desta ferramenta para subsidiar politicas publicas.
Sua presenca eh fundamental para pensarmos juntos nas respostas aos problemas identificados. Favor encaminhar o convite para profissionais que possam contribuir com este debate.
Contamos com seu apoio e participacao.

Atenciosamente,

Viviane Manso Castello Branco
S/SUBPAV/SPS/Coordenacao de Politicas e Acoes Intersetoriais

Semana de Mobilização “Saúde na Escola” – Prevenção e Controle da Obesidade



A Semana Saúde na Escola acontecerá anualmente  a partir  de 2012  com  um  tema  de  mobilização  nacional.  Para  o  ano  de  2012  foi  escolhido  o  tema  de Prevenção  da Obesidade.  Entre os dias 05 à 09 de março de 2012 serão realizadas atividades envolvendo os  escolares e suas famílias, com o intuito de alertar para a importância das boas condições de saúde para a melhoria no desenvolvimento pleno da criança/adolescente tanto na escola como na formação da cidadania, visando a aproximação da população com a Atenção Primária à Saúde.

Os dados mais recentes de monitoramento de saúde dos escolares, realizado com alunos do 9º ano da rede municipal do Rio de Janeiro, e da Pesquisa Nacional de Saúde dos Escolares apontam que:
-    80% dos escolares gastam mais de 4 horas por dia com TV, videogame ou computador
-    70% dos escolares come vendo TV 3 dias ou mais por semana
-    17,3% dos escolares apresentam excesso de peso e 2,0% baixo peso
-    43% dos escolares consomem refrigerante 5 dias ou mais por semana

Para saber mais sobre esses dados, consulte o documento Monitoramento da Saúde Escolar – resultado do segundo inquérito do Sistema de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção à Saúde de Adolescentes da Cidade do Rio de Janeiro.

O município do Rio de Janeiro se compromete a realizar as ações de avaliação antropométrica e orientação de visitas das famílias às Unidades Básicas de Saúde (UBS), bem como: a) atividade educativa sobre promoção da alimentação e modos de vida saudáveis com a comunidade escolar, considerando os alimentos regionais e b) atividades abordando as temáticas das diversidades, bullying, discriminação e preconceito no cotidiano da escola e homofobia.

Estas ações estão de acordo com o planejamento das equipes que atuam nas Escolas do Amanhã (PSE/IABAS). As equipes de saúde da família são convidadas a participar da mobilização e atuarão de acordo com suas possibilidades.

O resultado das ações realizadas ao longo da Semana deverá ser registrado no SIMEC na aba Semana Saúde na Escola 2012 até 30/04/2012 e contará para o alcance das metas pactuadas no Termo de Compromisso. Para isso é preciso registrar as seguintes informações:

a)    dos escolares que participarão de avaliação antropométrica – data; nome da escola; nome da equipe; nome do aluno; data de nascimento; matrícula na escola; número do cartão SUS (se tiver); peso e altura

b)    dos escolares que participarão das atividades educativas – data; tema; e quantitativo de alunos

No link abaixo há um documento com sugestões de atividades:
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/semana_saude_escola_guia_sugestao_atividades.pdf

Além deste documento, para apoiar o planejamento de ações também sugerimos consultar os seguintes materiais:
Projeto Com Gosto de Saúde – Obesidade e Desnutrição (disponível em http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc/exibeConteudo?article-id=127650)

Semana de Alimentação Escolar 2010 – Alimentos Industrializados (disponível em http://www.rio.rj.gov.br/web/smsdc/exibeConteudo?article-id=126864)

Caderneta de Saúde do/da Adolescente – páginas 13 a 19 (disponível em http://portal. saude.gov. br/portal/ arquivos/ pdf/cardeneta_ meninos.pdf e http://portal. saude.gov. br/portal/ arquivos/ pdf/cardeneta_ meninas.pdf)

Manual operacional para profissionais de saúde e educação – promoção da alimentação saudável nas escolas (disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_operacional_profissionais_saude_educacao.pdf)

Projeto RAP da Saúde – Rede de Adolescentes Promotores da Saúde – vídeo Gentileza (disponível em http://www.youtube.com/watch?v=4Wck1gQMxJQ)
 
Bom trabalho para todos nós!!
Equipe GTI/PSE

--
Aline Bressan
Coordenação de Saúde Escolar
SPS/SUBPAV/SMSDC Rio de Janeiro
tel: 21-2293-4956 e 2273-7398

Desafio busca propostas para educação e cidadania

http://portal.aprendiz.uol.com.br/
Vamos participar.
Desafio busca propostas para educação e cidadania:

O Changemakers da Ashoka lança o desafio online global: Ativando Empatia: Transformando Escolas para Ensinar o que Importa. São mais de U$110 mil (aproximandamente R$180 mil) em prêmios para as melhores ideias, programas e modelos de aprendizagem que tenham como foco garantir que crianças e jovens aprendam como melhor exercerem sua cidadania e liderança em um mundo no qual cada vez é mais necessária uma boa convivência com as diferenças.


“Estamos convidando professores(as), diretores(as), estudantes, pais/mães e inovadores para compartilhar suas ideias sobre como integrar a empatia como questão central na experiência de aprendizagem das crianças e jovens”, diz Danielle Goldstone, diretora do Programa de Empatia da Ashoka.


Com essa proposta, os participantes são desafiados a explicarem suas ideias e projetos para promover o desenvolvimento social e emocional. O objetivo é provocar maior colaboração entre os esforços existentes, como por exemplo, a melhor forma de abordar a questão do bullying para a promoção do entendimento da perspectiva alheia, da diversidade e respeito às diferenças, ou da criação de novas maneiras de entender problemas e encontrar soluções.


Além de concorrer aos prêmios, os participantes têm a oportunidade de trocar experiências com outros agentes de transformação social e ganham visibilidade entre especialistas da área, na mídia nacional e internacional, e também entre investidores sociais.


A iniciativa premiará as três melhores soluções, sendo que uma delas será selecionada por votação popular através do site do Changemakers. Os três vencedores levarão para casa um prêmio em dinheiro no valor de US$5.000 (aproximadamente R$8 mil) cada um, para investir em seus projetos.


Além disso, a empresa Mattel oferecerá prêmios para três inovadores de destaque que usarem jogos como ferramentas para fortalecer jovens e crianças no domínio da empatia, e a Fundação 1440 concederá um prêmio de U$10 mil (aproximadamente R$16 mil) para a ideia mais inovadora que alavancar o uso da tecnologia e/ou redes sociais na educação com o objetivo de ampliar os conhecimentos básicos de autoconsciência, autenticidade e empatia.


Os participantes podem inscrever seus projetos até às 20h (horário de Brasília) do dia 30 de março, diretamente no site do Changemakers da Ashoka, que é também um espaço de debate e compartilhamento de ideias sobre inovação social em várias áreas, entre elas a de educação.

Projeto de cinema itinerante na periferia de Teresina recebe prêmio nacional

http://portal.aprendiz.uol.com.br/
Idéia interessante.
Projeto de cinema itinerante na periferia de Teresina recebe prêmio nacional:

Tudo começou com uma televisão de 14 polegadas, levada para o meio da rua para exibir filmes em comunidades da periferia de Teresina, no Piauí.


“Eu tinha uma vontade muito grande de tirar o cinema do centro e levar para as comunidades, onde as pessoas não têm dinheiro para pagar nem a entrada nem o transporte”, diz Francisco Júnior, coordenador da ONG Movimento pela Paz na Periferia (MP3).


Primeiro, Júnior conseguiu alugar uma van com ajuda de católicos, depois de espíritas, até que enfim conseguiu juntar dinheiro para comprar a Kombi que é a marca registrada da ação que idealizou: o “Cineperiferia”, um cinema itinerante que exibe filmes ao ar livre nos subúrbios e áreas rurais nos arredores da capital piauiense.


O projeto foi eleito na última terça-feira, no Rio de Janeiro, como uma das três melhores ações sociais no Brasil pelo Prêmio Anu. Criado pela Central Única das Favelas (Cufa), o prêmio consagra ações desenvolvidas em favelas e comunidades carentes de todo o País.


Lazer gratuito


O Cineperiferia foi fundado oficialmente em 2004, e segue crescendo. Hoje, pega a estrada seis noites por semana.


As sessões são sempre de graça e proporcionam um momento coletivo de lazer e entretenimento para comunidades onde há pouca ou nenhuma oferta cultural, segundo Júnior.


Mas o projeto também tem outro objetivo: afastar jovens da violência de gangues ou do envolvimento com drogas que, de acordo com ele, vem crescendo na periferia piauiense.


“A gente entra levando a imagem e isso nos dá a possibilidade de ver as pessoas, sentir quais são os problemas, do que elas estão precisando”, disse Júnior à BBC Brasil.


A partir do cinema, ele conta que conseguiu atrair muitos jovens envolvidos com o crime para a MP3. Na sede da ONG, em Teresina, eles fazem cursos de capacitação e recebem ajuda para buscar empregos.


O coordenador da ONG esteve no Rio para a premiação da Cufa. O Cineperiferia já havia sido eleito o melhor projeto do Piauí e concorria com os vencedores de todos os outros Estados brasileiros pelo Anu Preto, que caberia aos três melhores projetos.


A iniciativa piauiense foi escolhida ao lado de uma de Santa Catarina (Cozinhas Comunitárias) e outra do Rio (Voz da Comunidade).


Agora, o objetivo de Júnior é aumentar o número de equipes e veículos para levar o cinema a quatro lugares a cada noite.


“O cinema é o melhor projeto que temos (na ONG), porque ele tem vida. As pessoas brigam com a gente quando a gente demora a ir às comunidades, mas nós não temos condições (de ir com mais frequência)”, diz.


A Kombi é conhecida pelos moradores. A cada noite, chega anunciando o filme e o local da sessão nos alto-falantes, para depois parar em uma praça ou região central onde o cinema – sempre ao ar livre – é montado. Um telão é fixado na lateral do veículo para a projeção.


Em seguida, os moradores vão chegando, alguns trazendo suas próprias cadeiras e bancos, para esperar o filme começar.


(UOL)